Um bebê e sua família serão indenizados em R$ 39 mil após a funcionária de uma cooperativa de saúde com atuação no município da Serra, queimar o rosto da criança com compressa de água quente.

Na sentença do juiz da 3ª Vara Cível do Fórum do Município, Carlos Alexandre Gutmann, a indenização deverá ser paga da seguinte maneira: R$ 10 mil para o bebê pelos danos morais sofridos, R$ 7 mil para mãe da criança e R$ 7 mil para o pai, também como reparação moral.

A criança ainda deverá receber R$ 15 mil como forma de reparar os danos estéticos sofridos após a queimadura, causada por suposta negligência da funcionária.

De acordo com as informações do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, em abril de 2012, com apenas um mês e vinte dias de vida, o bebê foi internado em um hospital ligado à cooperativa de saúde Unimed Vitória, sendo diagnosticado com meningite, o que teria ocasionado sua transferência para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

No entanto, após quatro dias de internação, uma enfermeira do hospital, ao colocar uma compressa de água quente no rosto da criança, não teria reparado que a água estava em temperatura elevada, causando queimaduras de segundo grau no rosto do bebê.

Para o juiz, houve falha no serviço prestado e não foram observados procedimentos mínimos de segurança, já que a enfermeira deveria ter conferido previamente a temperatura da água.

Os advogados da Unimed Vitória alegaram perante a justiça que a cooperativa médica não tem culpa pelo ocorrido e que não houve danos estéticos e morais à família.

indenização
O juiz Carlos Alexandre Gutmann julgou procedente a Ação de Reparação de Danos contra a Unimed Vitória em decorrência de danos estéticos e morais ao bebê, supostamente provocados por uma funcionária. Foto: Jason Morrison / Free Images

http://jornaltempodenoticias.com.br/wp-content/uploads/2016/03/indenizacao-justica.jpghttp://jornaltempodenoticias.com.br/wp-content/uploads/2016/03/indenizacao-justica-150x150.jpgHermann MoraesJustiçaDanos Morais,hospital,indenização,plano de saúde,serraUm bebê e sua família serão indenizados em R$ 39 mil após a funcionária de uma cooperativa de saúde com atuação no município da Serra, queimar o rosto da criança com compressa de água quente. Na sentença do juiz da 3ª Vara Cível do Fórum do Município, Carlos Alexandre Gutmann,...Últimas notícias do Espírito Santo, Brasil e do Mundo

Comentários