O caso:
Após ter sofrido novas agressões do marido, a bioquímica Nádia Helena Guerra, 56, denunciou o sargento reformado da PM Natalino Fernandes Botelho, 65, na delegacia de São Gabriel da Palha, Noroeste do Estado, na noite da última terça-feira (29).

Prisão, fiança e assassinato

Na sequência, Natalino foi chamado para depôr e negou as agressões, mas o delegado decidiu prendê-lo e arbitrou o pagamento de fiança de R$ 800,00. Segundo informações da Polícia Civil, o suspeito disse que não tinha o valor e entrou em contato com a esposa agredida, pedindo que ela pagasse o valor da fiança. Nádia mandou a quantia por uma funcionária e Natalino foi liberado. Na noite da última quarta-feira (30), ao retornar para sua residência, a vítima foi assassinada à tiros, por Natalino.

O crime cometido pelo marido, ex-vereador e sargento reformado da PM, chocou o município de São Gabriel da Palha. Vizinhos do casal deram declarações a imprensa, afirmando que as brigas entre o casal eram constantes. “Ele batia direto nela, é um sofrimento para nós. Aquele vagabundo tem que ser preso, ela era muito conhecida e muito querida”, manifestou a vizinha Inês Strelow, em entrevista de A Gazeta.

Fuga com o filho menor

Após assassinar friamente sua esposa, Natalino empreendeu fuga levando o filho mais novo do casal, 15, portador de síndrome de down. Não demorou muito para que a força tarefa da Polícia Militar em conjunto com a Polícia Civil, localizassem o acusado enquanto fugia para fora do ES.

Segundo informou o delegado João Seidel Júnior, titular da Delegacia de São Gabriel da Palha, o sargento PM reformado Natalino Fernandes Botelho foi detido na quinta-feira (31) em Mantena, Minas Gerais, após denúncias recebidas pela delegacia de São Gabriel da Palha.

A Polícia Civil do Espírito Santo se comunicou com as Polícias Civil e Militar de Minas Gerais e foi montada uma operação para prender o suspeito. Ele estava hospedado em um hotel junto ao filho, quando foi preso.

Natalino vai responder pelo crime de homicídio. Ele foi transferido no final da noite de quinta-feira (31), para a carceragem do Quartel da Polícia Militar.

Imagem postada no dia 7 de março por Natalino Botelho em sua página do Facebook. Foto: reprodução Facebook
Imagem postada no dia 7 de março por Natalino Botelho em sua página do Facebook. Foto: reprodução Facebook

Expulsão da PM

Natalino Fernandes Botelho é da reserva remunerada da Polícia Militar do Espírito Santo. Em contato com a PMES, fomos informados por meio da assessoria de imprensa, que a PM prestou total auxílio para a captura do acusado e que já iniciou na Corregedoria da PM um processo administrativo disciplinar demissionário.

Indignação nas redes sociais

Publicação feita no perfil da Natalino horas antes de assassinar sua esposa Nádia Guerra.
Publicação feita no perfil da Natalino horas antes de assassinar sua esposa Nádia Guerra.

Logo após o crime, o filho mais velho do casal informa a tia pelo Facebook, sobre o assassinato da mãe: “mataram a minha mãe, tia”. A conversa prossegue com a resposta de espanto da tia: “Como assim, (nome do filho)??? Isso é sério??? Em seguida, o jovem responde confirmando: “infelizmente é. Ainda não acredito, meu pai matou ela”.

Horas antes do crime, uma mensagem sobre a Lei 11.340 (Maria da Penha) foi publicada no perfil do sargento Natalino, na rede social Facebook. Usuários do serviço comentaram na publicação revoltados: “Quem antes postou sobre Maria da Penha agora caiu na própria armadilha”, dizia um dos comentários.

http://jornaltempodenoticias.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Natalino-Botelho.jpghttp://jornaltempodenoticias.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Natalino-Botelho-150x150.jpgGuilherme MoraesPolicialAssassinato,Esposa,Mantena,Minas Gerais,Nádia Guerra,Natalino Botelho,Preso,São Gabriel da Palha,Sargento PMESO caso: Após ter sofrido novas agressões do marido, a bioquímica Nádia Helena Guerra, 56, denunciou o sargento reformado da PM Natalino Fernandes Botelho, 65, na delegacia de São Gabriel da Palha, Noroeste do Estado, na noite da última terça-feira (29). Prisão, fiança e assassinato Na sequência, Natalino foi chamado para depôr...Últimas notícias do Espírito Santo, Brasil e do Mundo

Comentários